Sistema Decimal





Sistema Decimal
Usos Números Decimais
História dos Números Decimais
Sistemas Numéricos
Fale Conosco
Mapa do Site







Sistema Decimal
   numeros-decimal O caminho mais tomado, e correto, para as crianças é, assim que atingir a idade ideal, começar a estudar. Logicamente, o estudo busca ensinar as lições mais básicas nessa fase da vida. O nome das cores, dos animais, contar até dez... Mas porque até dez? Aliás, se o aluno souber contar até dez, ele receberá a nota dez, logo dez? O número dez está tão intimamente ligado ao nosso dia, desde tão cedo que acostumamos a usá-lo como valor base de nossa numeração. Isso acontece, justamente, pela existência do sistema decimal de numeração.

    O sistema decimal de numeração é uma forma de organização dos números, de forma a dar-lhes valor e poder organizá-los, formando regras que façam possíveis cálculos e outras operações matemáticas.  Ele usa o número 10 como base, ou seja, número mais importante. A possível origem desse sistema vem de um dos instintos que o ser humano tem quando pequeno: contar nos dedos. Como se sabe, os ser humano tem 10 dedos nas mãos, daí a facilidade de trabalhar com o tal numeral.

    Indo mais ao princípio da história, os números, que usamos para representar cada valor no sistema numérico, e também nos outros, são herança da numeração arábica, ou hindu.  Essa numeração já incluía o numeral zero, que em algumas outras culturas, como a romana, não estava presente. Os astecas e os maias foram um dos primeiros a usar o número que representa a “falta de unidade”, que, aliás, é bastante importante para o sistema decimal. Apesar de, quase todo o mundo se usar os mesmos sinais de número, a numeração teve seus vários inícios de diferentes formas e diferentes épocas. Os algarismos tiveram versão romana, hindu, egípcia e muitas outras  

    Basicamente, esse sistema organiza números de forma a classificá-los em “casas”. A primeira casa é a unidade, que vai do valor um até o valor nove. Depois de nove, vem a casa seguinte: as dezenas, que vão do valor dez até o valor noventa e nove, sendo que, se adicionado um valor, chegará à próxima casa, a da centena, que vai de cem até cento e noventa e nove e assim por diante.

    Uma importante característica desse sistema e um diferencial a alguns, é que o valor de um número pode variar de acordo com o lugar na sequência do número. Por exemplo: o número 571 tem o número 1 valendo uma unidade e o número 7 ocupando a casa das dezenas, por isso, sete dezenas. O mesmo valor em números romanos é escrito da seguinte forma: DLXXI. Ocorre o valor X= 10 aparece em duas casas, mesmo assim, tem o mesmo valor. Tanto o primeiro X como o segundo tem o mesmo valor, ao contrário do sistema decimal.

    Apesar de ser bastante presente e ser, praticamente, o principal sistema usado pela nossa sociedade, existem outros sistemas numéricos como o sexagesimal, que tem como número base o 60, o octal, que tem número base 8, o duodécimo (12) e muitos outros. Esses também têm diferentes funções em nosso cotidiano. O sexagesimal, por exemplo, está bastante presente para nós por meio da medição de tempo que usamos. O sistema de horas que seguimos está baseado nesse sistema numérico. A prova disso são valores como: uma hora tem 60 minutos, um minuto tem 60 segundos e assim por diante.

    Existe também o sistema binário, o qual tem o número 2 como base. A principal função desse sistema numérico é aplicada a sistemas eletrônicos. O computador, por exemplo, usa o sistema binário como base para seu funcionamento. Isso acontece por meio da “Álgebra Booleana”, que, por meio de equações e sistemas lógicos, consegue traduzir qualquer número ou informação em forma de sequências com apenas dois números. O dois números usados nessa álgebra são o 0 e o 1, que representam os opostos. Ligado/desligado, sim/não, direita/esquerda, enfim... esses opostos são representados por esses dois numerais. Pela variedade de combinações e pela simplicidade com que funciona o sistema binário, ele é o escolhido pelos engenheiros de computação.